sábado, 30 de abril de 2011

 
 .
.
.
.
.
.
.
.
.
.

 
"Há uma força motriz maior que o vapor, que a electricidade, que a energia atómica, é a vontade!"
Albert Einstein
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

.
.
..
.
.
.
.
.


.
.
.
.considerável amplitude
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

domingo, 24 de abril de 2011

.
.
..
.
.
.
.


.
.
.
.
.
a PAZ ECOA
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

sábado, 23 de abril de 2011

森の木琴

sexta-feira, 22 de abril de 2011

.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.planeta Terra
 
.
 .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

quarta-feira, 20 de abril de 2011

.
.
.
.
.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
O livrinho "a.mar"
video

terça-feira, 19 de abril de 2011

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

" Que os ouvidos escutem o que desejam, que os olhos vejam o que desejam, que o nariz aspire o que deseja, que a boca exprima o que deseja, que o corpo descanse como ele deseja e a vontade realize o que deseja."

in "tratado do vazio perfeito" de Lie Tse
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

.
.
.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.


.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

sábado, 16 de abril de 2011

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
um passo

vento no cabelo









outro passo
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

 .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
..
.
.
.
.
.


.
.
.


com paixão
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

.
.
.
.
.
.
.
.
..

..
.
.
.
.
.

para percorrermos uma distância qualquer entre um ponto zero e o ponto um
podemos dividi-la no número infinito de passos.
.
.
.
.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

terça-feira, 12 de abril de 2011

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
 

conversa com o meu sobrinho Tomás:
Eu- olha, sonhei contigo esta noite. Sonhei que tinha ido ao jardim buscar uma pedrinha que me tinhas pedido.
Tomás - Bigado!
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

.
..
.
.
.


.
.
.
.
."no meu jardim nascem flores de paz e amor"
 
.
 .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
 

domingo, 10 de abril de 2011

..
.
.


.
.
.
.
.
.natureza generosa
.
.
 .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

sábado, 9 de abril de 2011

.
.
.
.
.
.
.
..
.
.
.
.

.
.
.
.
.
.
.
.

"O puro e o leve subiu e tornou-se o Céu, o impuro e pesado desceu e tornou-se a Terra.
A harmonia do vazio e dos sopros produziu os humanos.
Assim, uma vez que o Universo continha essências, os seres transformaram-se e nasceram."

In "tratado do vazio perfeito" de Lie Tse
.
.
.
.
.
.
..
.
.
.
.

.
.
.
.
.
.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.



"Yang Zhu disse: «Os seres, diferentes na vida, são iguais na morte. Os vivos são sábios, loucos, honrados ou desprezados; eis as diferenças. Os mortos decompõem-se, ficam putrefactos, dissolvem-se ou anulam-se; eis as igualdades. No entanto sabedoria, loucura, honras ou desprezo não estão em nosso poder; decomposição, putrefacção, dissolução ou anulação não estão em nosso poder.
É por isso que ninguém vive, morre, é sábio, louco, honrado ou desprezado por si mesmo, mas por sua natureza. Alguns morrem com dez anos, outros morrem com cem anos. O bom e o prudente morrem como o mau e o tolo. Aqueles que foram Yao, Shun, Jie e Zhou em vida, não passam de ossos podres depois da morte. Quem vê diferença na unidade dos ossos podres? Então, colhamos o instante. Pouco importa o que acontece depois da morte.»"

in "tratado do vazio perfeito" de Lie Tse
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

sexta-feira, 1 de abril de 2011

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
 
"Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tectos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios... 

Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém.
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo. 

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!

A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!
José Régio

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.