sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

alquimia

"Esta química cerebral destina-se a agrupar os humanos aos pares. Afinal disso depende a nossa sobrevivência como espécie.

Há três químicos particularmente importantes no processo.

A Dopamina. Os níveis sobem quando nos apaixonamos e provocam a excitação e todo o tipo de sentimentos maravilhosos.

A Norepinefrina, químico corporal, que provoca as palpitações que ocorrem quando vemos o nosso apaixonado, as púpilas dilitadas, a perda de apetite, a falta de sono.


A Serotonina, o terceiro químico, dá-nos a sensação de calma. Quando os níveis deste diminuem ficamos obcecados. Aquela pessoa absorve todo o nosso pensamento.




Quando nos apaixonamos dá-se uma mini-obcessão química.

O sexo liberta uma hormona chamada oxitocina. A hormona do acasalamento.
Nos rapazes é transitória ou seja, atinge o clímax e depois esvanece-se, nas raparigas tem um efeito prolongado e por isso as raparigas associam o sexo e o orgasmo à paixão e ao amor.
Sobre o efeito da oxitocina, a excitação desencadeia uma vaga de sentimentos de empatia e confiança."
in Odisseia

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010


o rio corre.

.
.
.
.
.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

é muito giro que nós temos a idéia que o Sol gira em nosso torno.

A visão dá-nos essa percepção. O Sol anda no nosso céu de um lado para o outro.


Quando é exactamente o contrário. Nós, Planeta Terra é que rodamos em torno dele.

Nós somos como o cavalo em torno do treinador no picadeiro.
Só que a corda é só de energia gravítica e nós Planeta Terra ainda rodamos como roda o penico no carrocel da selva.
.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

hoje às 17h45 inicio mais uma volta ao Sol,
a trigésima sétima.



percorridos 5550 milhões de quilómetros no espaço

e 172 milhões de quilómetros em torno do eixo do planeta.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

mãe - mater - matéria





domingo, 21 de fevereiro de 2010

.
.
.
.
recorte de um sonho
.
.
.


(...) E dirigiu-se a mim de braços abertos, queria ficar comigo.
Respondi-lhe logo que nem pensasse nisso. Eu não vou assim com qualquer um que não conheço.
E virei costas.
Logo a seguir passa por mim no carro, aí vi bem o seu rosto, o seu olhar que era lindíssimo e ele disse-me: "Se ama, viu?" e eu, muito baixinho para dentro de mim disse: está bem.

.
.
.
.
.

.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

.
.
.

parece que o Universo é feito de Estrelas e de espaço escuro

.
.
.

dias
passamos bem perto da Luz das Estrelas
.
. .

.
.
.
.
.

.
.


dias
há que percorrer o espaço escuro a caminho da próxima Estrela
.
.
.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

.
.
.
.
.
.

.
.
.
.
.


I CAN FLY - LAMB (FFX and FFX-2)

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

.
.
.
.

.
.
.
.
.
.






Pensamento Azul até ao Infinito
(2x100m de pintura s/papel,
F.B.A.U.L 1997)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

já estão a chegar as andorinhas...




terça-feira, 16 de fevereiro de 2010


"Fizémos ressonâncias magnéticas ao cérebro de pessoas loucamente apaixonadas e encontrámos actividade numa pequena área do cérebro que é a área que se activa sobre o efeito da cocaína."

in documentário Odisseia

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010





há coisas simples, há complicadas

há tudos. nadas

inter calados

domingo, 14 de fevereiro de 2010





"As folhas caem e voltam para as raízes. Quando aparecem de novo, são silenciosas." Hui- Neng

in Kyoto Meditations

sábado, 13 de fevereiro de 2010

.
.
.
.
.


.
.
.

"Eu sigo em breve a tua via,

Não em carro de Baco e guarda de leopardos,

Antes, nas asas invisíveis da Poesia,

Vencendo a hesitação da mente e os seus retardos;

Já estou contigo! Suave é a noite Linda*"

Jonh Keats

eu não pedi os jardins
e a Natureza deu-os, cheios de perfumadas cores das flores,

eu não pedi os rios,
a Natureza deu-os, a água, fertilizou as terras

eu não pedi os meus braços
a Natureza deu-os, deixa-me com eles nadar no Mar,

eu não pedi os melros
a Natureza deu-os, são a melodia, a música pelo correr do dia,

eu não pedi os sons
a Natureza deu-os, os das palavras, a Poesia, outras melodias,

a Natureza deu-os, estes encontros
e o Amor

e deu a capacidade de sentir
o Amor por cada coisa
da Natureza
neste Universo nosso. a.mar

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

.
Alexis Carrel inventou a cirurgia vascular.
Foi aprender a bordar com a melhor bordadeira e desenvolveu uma técnica para unir os vasos capilares.

.
.
.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

.
.
.
.
.
." Porém, não devemos conservar qualquer idéia fixa ou anticipação sobre esse assunto ou experiência, mas antes, devemos manter sempre nova a prática e os preceitos do Aqui-Agora.

Esta é a razão (de facto não é «razão», mas realidade) porque mesmo uma pessoa iluminada pode cair na corrente kámica humana."
in "Folhas caem, um novo rebento" de Hôgen Yamahata
vídeo Philip Glass - Japura River

e vídeo Uakti & Philip Glass - Negro River

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

.
.
.
. .
.
.

O Principe de Veneza tinha um pijama Amarelo
video Pour Your body out
Pipilotti Rist

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010





Tudo é às ondas. Tudo passa. Vai à areia e volta.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O
Ohm
hOmen
M
Men
Mind
Mankind
Klang
Eu estava a assistir a um documentário passado numa aldeia do Nepal, em que uma aldeã necessitava de ajuda porque sofria dumas dores de estômago muito fortes. Reuniram-se os chamãs construiram um tambor especialmente para a cerimória.
Juntaram-se todos à volta da música, do fogo e das bebidas espirituais. Cantaram, dançaram, entraram em transe, negociaram com os deuses e dançaram com a senhora no meio e sózinhos e terminou a cerimónia.

Isto não é um carnaval?

Não é o dar o aval a outras má(i)scaras ( que não a nossa) na nossa carne?
Assim como aprendemos a andar, como aprendemos a falar, o nosso cérebro aprende os caminhos para os mundos inconscientes. Aprende o caminho para ver outras luzes e ouvir outros sons, descodificar outras linguagens.
camellia zzzzzumbidis







video

A folha de louro a arder parece fogo de artifício

.
.
.
.

.
.
.
..
.
.
.
e o que é que estou à espera e o que não estou à espera.